Abengoa Bioenergia entra com pedido de recuperação judicial

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo A Abengoa Bioenergia Brasil, braço da espanhola Abengoa que possui duas usinas sucroalcooleiras em operação no Estado de São Paulo, entrou com […]

NESTLÉ ELEVA META, MAS FICA NA L’ORÉAL

Por Dow Jones | De Londres Múlti comandada por Mark Schneider sobre pressões de investidor ativista A Nestlé estabeleceu uma nova meta de margem de lucro e anunciou que vai […]

CARF ACEITA OPERAÇÃO QUE REDUZ TRIBUTOS SOBRE VENDA DE AÇÕES

Por Adriana Aguiar | De São Paulo Thais de Barros Meira: decisão é a primeira proferida pela nova composição do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais O Conselho Administrativo de Recursos […]

FISCO TRIBUTARÁ ATIVO AFERIDO A VALOR JUSTO

Por Laura Ignacio | De São Paulo Advogada Vanessa Rahal Canado: solução de consulta pode gerar ações A redução de capital pelo valor contábil não gera à empresa ganho de […]

DIVERGÊNCIA DE JBS E BNDES ESTÁ LONGE DO FIM

Por Graziella Valenti e Francisco Góes | De São Paulo e do Rio Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES: banco parece ter desistido de pedir o cancelamento da reunião […]

VAREJO DE MODA AVANÇA E DÁ SINAIS DE RECUPERAÇÃO

Por Cibelle Bouças | São Paulo Pesquisa do IBGE indica alta de 15,5% nas vendas do setor de varejo têxtil, vestuário e calçados no terceiro trimestre O varejo brasileiro de […]

RBR LANÇA FUNDO E VÊ RETOMADA EM IMÓVEIS

Por Talita Moreira | De São Paulo A RBR Asset, gestora de ativos especializada no setor imobiliário, lançou na sexta-feira seu primeiro fundo negociado em bolsa, vislumbrando uma retomada do […]

PUPIN FAZ NOVO PEDIDO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Por Kauanna Navarro | De São Paulo Cerca de um ano e meio depois de ter seu pedido de recuperação judicial como “empresário rural” negado pelo Tribunal de Justiça de […]

BANCOS DE FOMENTO DEVEM FINANCIAR BAIXO CARBONO, DIZ ESPECIALISTA FRANCÊS

Por Daniela Chiaretti | De Brasília Rèmy Rioux: “Ideia é ter modelo mais rico, integrando o risco climático e contribuindo para a formulação de políticas públicas” Os bancos de desenvolvimento […]

CCPR QUER RECOMPRAR FATIA DE 50% NA ITAMBÉ

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo A Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais Ltda. (CCPR), dona de 50% da Itambé Alimentos, quer recomprar os 50% […]

28/06/2017

Assaí compensa preço menor com volume

Por Adriana Mattos | De São Paulo

A queda na inflação no segundo trimestre tem elevado o volume vendido, como reflexo de um aumento no tráfego de clientes nas lojas do Assaí, rede de atacarejo do Grupo Pão de Açúcar, apurou o Valor.

Se por um lado o crescimento da receita bruta do comércio desacelera quando os reajustes de preços diminuem, há uma espécie de efeito compensatório se, com preços controlados, o volume vendido sobe. A necessidade de atingir esse equilíbrio tem sido tema de relatórios de analistas do setor.

Segundo uma fonte a par do assunto, o Assaí deve publicar ao mercado dados de vendas “mesmas lojas” (que compara o desempenho de lojas abertas há pelo menos um ano) de abril a junho com alta de dois dígitos baixos, entre 10% a 15%, e isso reflete volumes vendidos maiores compensando o recuo na inflação.

O mercado de atacarejo tem alta dependência na venda de produtos “commodities” (como itens de limpeza e de mercearia), que tendem a registrar quedas acentuadas de preços em períodos de maior estabilidade econômica.
Ainda pesa positivamente nas vendas “mesmas lojas” do Assaí o volume de unidades abertas no ano passado e que passam a entrar integralmente nos resultados de vendas de 2017. A empresa tem aberto historicamente mais de 10 lojas por ano – o número deste ano deve girar em torno de 15.

O plano neste momento, apurou o Valor, é de inaugurar 16 lojas em 2017 por meio de conversão de hipermercados Extra em Assaí e abrir sete pontos novos. Esses números sofrem ajustes ao longo do ano. A empresa informou ao mercado, no início de 2017, ao menos 15 conversões e 6 a 8 aberturas.

A rede de atacarejo do GPA, que atende consumidores e também tem como clientes pequenos negócios (restaurantes, bares, hotéis) não verificou perda de velocidade nas vendas após meados de maio, com o aprofundamento da crise política, diz fonte. Há dúvidas no mercado se as delações dos controladores da JBS envolvendo o presidente Michel Temer teriam afetado o nível de confiança do consumidor neste ano.

O Valor apurou que o Assaí avalia a ideia de ampliar a base de lojas próprias e reduzir o volume dunidades locadas. Isso deve ter efeito na queda de despesas com aluguel, com reflexo sobre lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, da sigla em inglês). Enquanto o Atacadão, rede concorrente do Carrefour, tem mais de 50% de lojas próprias, o Assaí tem situação oposta. Isso porque precisou locar lojas rapidamente para atingir as metas de expansão orgânica nos últimos anos.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Leônidas Herndl, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@leonidasherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Leonidas Herndl

Goodae