Abengoa Bioenergia entra com pedido de recuperação judicial

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo A Abengoa Bioenergia Brasil, braço da espanhola Abengoa que possui duas usinas sucroalcooleiras em operação no Estado de São Paulo, entrou com […]

NESTLÉ ELEVA META, MAS FICA NA L’ORÉAL

Por Dow Jones | De Londres Múlti comandada por Mark Schneider sobre pressões de investidor ativista A Nestlé estabeleceu uma nova meta de margem de lucro e anunciou que vai […]

CARF ACEITA OPERAÇÃO QUE REDUZ TRIBUTOS SOBRE VENDA DE AÇÕES

Por Adriana Aguiar | De São Paulo Thais de Barros Meira: decisão é a primeira proferida pela nova composição do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais O Conselho Administrativo de Recursos […]

FISCO TRIBUTARÁ ATIVO AFERIDO A VALOR JUSTO

Por Laura Ignacio | De São Paulo Advogada Vanessa Rahal Canado: solução de consulta pode gerar ações A redução de capital pelo valor contábil não gera à empresa ganho de […]

DIVERGÊNCIA DE JBS E BNDES ESTÁ LONGE DO FIM

Por Graziella Valenti e Francisco Góes | De São Paulo e do Rio Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES: banco parece ter desistido de pedir o cancelamento da reunião […]

VAREJO DE MODA AVANÇA E DÁ SINAIS DE RECUPERAÇÃO

Por Cibelle Bouças | São Paulo Pesquisa do IBGE indica alta de 15,5% nas vendas do setor de varejo têxtil, vestuário e calçados no terceiro trimestre O varejo brasileiro de […]

RBR LANÇA FUNDO E VÊ RETOMADA EM IMÓVEIS

Por Talita Moreira | De São Paulo A RBR Asset, gestora de ativos especializada no setor imobiliário, lançou na sexta-feira seu primeiro fundo negociado em bolsa, vislumbrando uma retomada do […]

PUPIN FAZ NOVO PEDIDO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Por Kauanna Navarro | De São Paulo Cerca de um ano e meio depois de ter seu pedido de recuperação judicial como “empresário rural” negado pelo Tribunal de Justiça de […]

BANCOS DE FOMENTO DEVEM FINANCIAR BAIXO CARBONO, DIZ ESPECIALISTA FRANCÊS

Por Daniela Chiaretti | De Brasília Rèmy Rioux: “Ideia é ter modelo mais rico, integrando o risco climático e contribuindo para a formulação de políticas públicas” Os bancos de desenvolvimento […]

CCPR QUER RECOMPRAR FATIA DE 50% NA ITAMBÉ

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo A Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais Ltda. (CCPR), dona de 50% da Itambé Alimentos, quer recomprar os 50% […]

09/08/2017

M.Dias Branco avança em plano de parque fabril

Por Cibelle Bouças | De São Paulo

A M. Dias Branco, fabricante de massas e biscoitos dona de marcas como Adria, Vitarella e Fortaleza, informou que espera começar ainda neste ano a construção de um novo parque fabril em Juiz de Fora (MG). A companhia anunciou em julho de 2016 o plano de investir R$ 300 milhões na instalação de uma fábrica, um moinho de trigo e um centro de distribuição no município.

Geraldo Luciano Mattos Júnior, vice-presidente de investimentos e controladoria da M. Dias Branco, disse em teleconferência para analistas e investidores que concluiu a compra do terreno e obteve licença ambiental para o início das obras. “Falta a construção de um acesso entre a via pública e o terreno, que tem de ser feito pela prefeitura para começarmos a obra. Nossa expectativa é começar ainda neste ano”, afirmou Mattos. A previsão do executivo é concluir a construção da unidade em 2019.

O anúncio não foi suficiente para animar investidores e as ações da companhia fecharam o dia em queda de 5,69% na B3, cotadas a R$ 48,10. Os papéis ficaram no território negativo durante todo o dia, após a companhia apresentar um desempenho abaixo do esperado no segundo trimestre.

A fabricante reportou uma alta de 8,3% no lucro líquido, em comparação ao segundo trimestre de 2016, para R$ 199,4 milhões. A receita líquida cresceu 3,7%, para R$ 1,38 bilhão. Em volume de vendas, houve aumento de 2,5%, mas em preço a alta foi de 1%. A margem bruta de lucro caiu 0,3 ponto percentual, para 42,3%. Os analistas do BTG Pactual, Thiago Duarte e Vito Ferreira, ponderaram em relatório que a expectativa era de ganho de margem bruta, considerando que houve queda nos preços de matérias-primas, como o trigo, que teve redução de 15,4%.

No trimestre, a M. Dias Branco teve um aumento médio de 2,3% nos preços de biscoitos e de 9,8% em margarinas e gorduras. Em massas e farelos houve queda nos preços de 1,2% e 8,5%, respectivamente. Fabio Cefaly, diretor de novos negócios e relações com investidores da M. Dias Branco, disse que a disputa de preços, principalmente na categoria de massas, foi muito forte no trimestre.

“A partir de maio, vimos uma retomada nos volumes vendidos de massas. Em biscoitos, a companhia está com um ritmo de crescimento muito bom, principalmente no Sul e no Sudeste. No médio e longo prazos, esse aumento de volumes vai ajudar a diluir custos fixos e trazer efeito nas margens de lucro”, afirmou Cefaly. O executivo acrescentou que espera fechar o ano com crescimento em vendas.

No segundo trimestre, a participação da M. Dias Branco no mercado de massas, em volume vendido, ficou estável em 31,2%, segundo a Nielsen. Na categoria de biscoitos, a participação cresceu 2,1 pontos percentuais, para 32,8%.

A companhia também informou que fez investimentos mais fortes em marketing para promover novas linhas das marcas Richester, Vitarella, Finna e Fortaleza, lançadas no Sudeste e no Distrito Federal. Cefaly disse que até o fim do ano, as novas linhas serão distribuídas em todo o país, devendo contribuir para uma melhora no desempenho de vendas da fabricante. No segundo trimestre, o investimento mais alto em marketing contribuiu para um aumento de 15,7% nas despesas operacionais da companhia, para R$ 367,5 milhões. (Colaborou Juliana Machado).

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Leônidas Herndl, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@leonidasherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Leonidas Herndl

Goodae