img_817x460$2015_11_25_11_35_08_269145

Abengoa Bioenergia entra com pedido de recuperação judicial

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo A Abengoa Bioenergia Brasil, braço da espanhola Abengoa que possui duas usinas sucroalcooleiras em operação no Estado de São Paulo, entrou com […]

nestle-logo (1)

NESTLÉ ELEVA META, MAS FICA NA L’ORÉAL

Por Dow Jones | De Londres Múlti comandada por Mark Schneider sobre pressões de investidor ativista A Nestlé estabeleceu uma nova meta de margem de lucro e anunciou que vai […]

carf-20150430-041

CARF ACEITA OPERAÇÃO QUE REDUZ TRIBUTOS SOBRE VENDA DE AÇÕES

Por Adriana Aguiar | De São Paulo Thais de Barros Meira: decisão é a primeira proferida pela nova composição do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais O Conselho Administrativo de Recursos […]

qual-dif-entre-trib-imp-fig-1

FISCO TRIBUTARÁ ATIVO AFERIDO A VALOR JUSTO

Por Laura Ignacio | De São Paulo Advogada Vanessa Rahal Canado: solução de consulta pode gerar ações A redução de capital pelo valor contábil não gera à empresa ganho de […]

jbs (1)

DIVERGÊNCIA DE JBS E BNDES ESTÁ LONGE DO FIM

Por Graziella Valenti e Francisco Góes | De São Paulo e do Rio Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES: banco parece ter desistido de pedir o cancelamento da reunião […]

asdssaffsfa

VAREJO DE MODA AVANÇA E DÁ SINAIS DE RECUPERAÇÃO

Por Cibelle Bouças | São Paulo Pesquisa do IBGE indica alta de 15,5% nas vendas do setor de varejo têxtil, vestuário e calçados no terceiro trimestre O varejo brasileiro de […]

imoveiss

RBR LANÇA FUNDO E VÊ RETOMADA EM IMÓVEIS

Por Talita Moreira | De São Paulo A RBR Asset, gestora de ativos especializada no setor imobiliário, lançou na sexta-feira seu primeiro fundo negociado em bolsa, vislumbrando uma retomada do […]

Recuperação_02_06_17

PUPIN FAZ NOVO PEDIDO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Por Kauanna Navarro | De São Paulo Cerca de um ano e meio depois de ter seu pedido de recuperação judicial como “empresário rural” negado pelo Tribunal de Justiça de […]

carbono

BANCOS DE FOMENTO DEVEM FINANCIAR BAIXO CARBONO, DIZ ESPECIALISTA FRANCÊS

Por Daniela Chiaretti | De Brasília Rèmy Rioux: “Ideia é ter modelo mais rico, integrando o risco climático e contribuindo para a formulação de políticas públicas” Os bancos de desenvolvimento […]

armazem_2

CCPR QUER RECOMPRAR FATIA DE 50% NA ITAMBÉ

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo A Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais Ltda. (CCPR), dona de 50% da Itambé Alimentos, quer recomprar os 50% […]

27/09/2017

NESTLÉ ELEVA META, MAS FICA NA L’ORÉAL

nestle-logo (1)

Por Dow Jones | De Londres

Múlti comandada por Mark Schneider sobre pressões de investidor ativista

A Nestlé estabeleceu uma nova meta de margem de lucro e anunciou que vai acelerar a recompra de ações, em meio à pressão do investidor ativista Dan Loeb, mas manteve-se firme em manter sua participação na gigante de cosméticos L’Oréal.

A estratégia da companhia está no foco de discussões, desde que o grupo de investimentos Third Point, de Loeb, adquiriu 1,3% de participação na multinacional e pediu medidas para melhorar seu desempenho, incluindo a venda de sua participação na L’Oréal.

Comandada pelo executivo Mark Schneider, a Nestlé anunciou ontem que vai se esforçar para ampliar a margem de lucro para 17,5% a 18,5% até 2020, em uma base ajustada, excluindo efeitos de reestruturação, baixa contábil e outras despesas extraordinárias. No primeiro semestre deste ano, a margem de lucro foi de 15,8%.

A empresa também afirmou que vai ajustar o programa de recompra de ações de US$ 20,8 bilhões anunciado em junho. Agora, vai comprar ações de forma uniforme em cada um dos três anos até 2020, em vez de ampliar a recompra em 2019 e 2020.

O grupo informou ainda que cerca de 10% do seu portfólio de produtos estaria pronto para ser vendido. A ideia é sair de algumas áreas com baixo crescimento e investir em novos negócios.

A Nestlé já anunciou que pode vender seu braço de confeitaria nos Estados Unidos e que recebeu propostas pelo negócio de café Blue Bottle, pelo serviço de entrega de comida Freshly e por fábricas de alimentos da marca Sweet Earth.

Em relação à participação na L’Oréal, a Nestlé informou que atualmente não planeja mudanças em sua fatia de 23,29%. O assunto esteve em foco após a morte, na semana passada, de Liliane Bettencourt, herdeira da L’Oréal. A multinacional de alimentos acrescentou que a participação na fabricante de cosméticos gerou um retorno anual de 12% nos 42 anos de sociedade.

A Nestlé também tem trabalhado para solucionar problemas em seu próprio negócio de cuidados com a pele. A companhia investiu agressivamente na área e as patentes dos produtos de prescrição expiraram.

Na semana passada, o grupo informou que estava cortando cerca de 400 dos 550 funcionários em suas unidades de pesquisa e desenvolvimento de cuidados com a pele Galderma, na França. Uma revisão global do negócio da saúde da pele está em andamento.

A Nestlé também vai investir em alimentos congelados, observando que 90% das famílias dos Estados Unidos têm um microondas e um freezer. E planeja se concentrar em café frio pronto a beber e café consumido fora de casa, de olho no aumento da demanda de consumidores pela bebida na China, Índia e África.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Leônidas Herndl, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@leonidasherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Leonidas Herndl

Goodae